25.8.16

[Resenha]: Mãos Livres - Francine S. C. Camargo

Título: Mãos Livres
Autor: Francine S. C. Camargo
Páginas: 70 Páginas
Editora: Chiado Editora

Sinopse: Sou do tipo mãos vazias. Prefiro nada carregar e ter os braços livres. Mesmo que seja para travá-los na cintura em espera, cruzá-los em desaprovação. Fico, assim, pronta para um adeus inesperado ou um abraço loucamente necessário em quem acaba de chegar.” Mãos livres reúnem contos e crônicas da autora, com uma escrita poética e fabulizada. As palavras surgem de forma a realçar e tecer a realidade em uma sequência de emoções, narrando eventos inusitados como o encontro com um cão desordeiro, o diálogo de livros à estante e um lugar chamado Aboborolândia, ou passando por temas universais como o amor, a amizade, a maternidade, a morte, a rotina e a timidez, sempre fugindo das explicações comuns; com as mãos desimpedidas, “como se nada pudesse me fazer parar, como se fossem criar garras para lutar. Decerto, deparo com um abismo e aí, estou pronta, prontinha para voar.


Gente que livro maravilhoso De verdade gostei muito dele. E antes da resenha, olha que dedicatória linda a Francine escreveu ♥

mão+livres

Linda não é mesmo? Agora vamos ao que interessa
Bom, o livro Mãos Livres é um livro de contos e crônicas que te fazem pensar muito (pelo menos eu pensei bastante a cada vez que terminava um kkk)Contos e crônicas que falam de tudo um pouco. De amizade à amor, de realidade à fantasia.


"Parece que tudo acaba quando se encerra um livro, quando se coloca o marcador ou um livro é devolvido à estante. Essa fábula mostra que o conhecimento ou os sonhos continuam enclausurados nas páginas outrora folheadas, e elas clamam por nós, rogando para serem atendidas"


Quer saber que fábula é essa? Então te convido a adquirir esse livro e entrar nessa viagem junto com todos que já leram


E como em todo livro, sempre tem quela parte que acaba virando nossa preferida. E com esse livro não é diferente. Vou colocar aqui a minha crônica favorita do livro

O fim


O telefone não vai tocar. Poderia muito bem ser só uma mpb antiga, mas não vai tocar mesmo. Levante-sedaí, tome um café, ponha a vida pra funcionar e capriche nobatom, pois ele não volta.E você vai dizer espera um pouco, vou já já, e as horas marcham, nenhum som ecoa, exceto o crepitar dosseus dedos. E arranca o esmalte, percorre a sala com osolhos de um lado para o outro, sem que nada aconteça.A noite foi longa, o dia raiou, você nem atentou paraa luz, pois tem escuridão dentro de si. Mas precisa acendera lâmpada, precisa encorajar ps passos, nem que tenhaque abafar mais um gemido e engolir sua queixa.Lá fora, a vida quer entrar e você ainda nem pesousair. Quando erguer-se, cuidado com os cacos de vidro,cuidado com os cacos da alma, não há cola para esse reparo.Não, não planeje explicar, a lembrança já envelheceu,é passado, com odor antigo degradado. O final é claroe convicto: mesmo achatada, não afronte o que já foi.Coragem sua impor o não. Você pediu , você deixou.Agora é hora de continuar. Ele não volta e você já disse adeus.




mãos+livres

Redes Sociais da Autora:










2 comentários:

  1. Que livros interessante! Fiquei muito curiosa para ler, parece bem poético e reflexivo! E a letra da autora? linda! Sou apaixonada por letra cursiva kaskaks

    Parabéns pelo blog, achei lindoo!
    livrosemcena.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Esse livro é do jeitinho que você disse *---* e obrigada amore ❤️

    ResponderExcluir

© Porão da Lara - 2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Érica Camelatto.
Tecnologia do Blogger